sexta-feira, 15 de março de 2013

PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA


GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
REPRESENTAÇÃO DE ENSINO / SEDUC / COLORADO
ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL 16 DE JUNHO


                                    PLANO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA


                            "A cada dia acredito mais na possibilidade de termos um Brasil Leitor. O resultado
                               dos projetos de leitura me leva a acreditar que é possível realizar esse sonho".
                                Laé de Souza



COLORADO DO OESTE – RO -2013

I- IDENTIFICAÇÃO DA EQUIPE PEDAGÓGICA
ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL 16 JUNHO

AVENIDA RIO MADEIRA Nº 4870

FONE= 0693412715 EMAIL: eeefm16dejunho@hotmail.com

BLOG- http://escola16dejunhocolorado.blogspot.com

Nº DE ALUNOS: 83 alunos do 2º e 3º ano do ensino fundamental

PUBLICO ALVO - alunos do 2º e 3º ano

ÁREAS DE CONHECIMENTOS: Língua Portuguesa, Matemática, Ciências, Geografia, História, Ensino Religioso, Arte, Educação física

CONTEÚDOS A SEREM EXPLORADOS : leitura, interpretação e produção de textos.

DURAÇÃO: Um ano letivo

Diretora= Cleonice Adriana Schmitt

Vice-diretora= Sandra Inês Burgel

Secretaria= Odair José Soares Borges

Supervisora= Valdecira Aparecida da Silva Moreira e Luzia Ferreira

Orientação= Valdinéia Honorato Reis
Proposta de Melhoria Organizacional do Processo Educativo da Escola 16 de Junho- Colorado do Oeste/Rondônia.

II- APRESENTAÇÃO-

Este projeto visa a busca de alternativas pedagógicas que possam auxiliar o processo ensino aprendizagem. Descreve:Princípios organizacionais↔Trabalho coletivo Identificação de problemas, busca de estratégias, superação de fragilidades do contexto escolar.

III-FUNDAMENTAÇÃO TEORICA

Os dados do IDEB da escola 16 de Junho (5,3) nos anos iniciais (http://ideb.inep.gov.br/) e o Projeto pedagógico da escola, trazem como objetivos:

Objetivos Estratégicos –Elevar o desempenho acadêmico dos alunos - Melhorar as praticas pedagógica da escola ( PPP da escola 16 de Junho 2013)

Os índices estatísticos final da escola ano 2012 trazem os seguintes dados:-reprovação- 18% no 2º ano e 13% no 3º ano.(documento interno e ata da escola)

De acordo com Diretrizes Operacionais sobre conselho de classe, conselho de professores e competências do orientador educacional, supervisor escolar e psicólogo educacional- Rondônia 2010, amparado pela Portaria 0436/10 GAB SEDUC – 2010 compete ao supervisor escolar.

A Supervisão Escolar deverá desenvolver suas competências baseada na portaria N.0436/10- GAB/SEDUC, em 19 de março de dois mil e dez, cabendo-lhe planejar, coordenar, supervisionar, orientar e avaliar as atividades a serem desenvolvidas na Escola, subsidiando a prática pedagógica dos profissionais da escola, bem como proporcionar suporte e direcionamento para o desenvolvimento das competências e atribuições, para que o corpo docente possa atuar com maior eficácia no processo de ensino-aprendizagem.(Portaria 0436/10 GAB SEDUC – 2010).

Ao orientador cabendo-lhe ajudar os alunos juntamente com os professores em seu desenvolvimento pessoal e compreender o comportamento dos mesmos, ajudando na formação de uma consciência critica que o levará ao desenvolvimento de suas potencialidades em consonância com a portaria Nº 0436/10 GAB/SEDUC.

Instrumentais tais como provinha Brasil 2012.

A Provinha Brasil permite aos professores e gestores obter mais informações que auxiliem o monitoramento e avaliação dos processos de desenvolvimento da alfabetização oferecida nas escolas públicas brasileiras( Guia de correção e interpretação dos resultados p.03/2012)

.IV- JUSTIFICATIVA

Pesquisa em todo mundo, mostram a necessidade da leitura e interpretação de texto, de produções coerentes e coesas para o sucesso profissional e acadêmico nas diversificadas áreas de trabalho

Atendendo a solicitações dos professores, pais, alunos na reconstrução do PPE, da Escola 16 de Junho, que é: construir uma educação de qualidade, priorizando a busca pelo saber, motivo que levou a escolha pelo projeto: “LEITURA A CHAVE DO SUCESSO" para os alunos do 2° ao 3° ano, uma vez que apresentaram maior numero de reprovação escolar no ano de 2012.

A reprovação no ano de 2012, foi de 18% no 2º ano e 13% no 3º ano. Após análise desta realidade optou-se,em comum acordo que a escola precisaria desenvolver projetos que motivasse a leitura, interpretação e produção de textos, uma vez que se os alunos precisam melhorar as habilidades e competências leitoras e escritoras.

V-OBJETIVO

- Incentivar a leitura de mundo e a construção do conhecimento através da leitura de: livros, fichas de leituras, adaptações de clássicos literários, documentários, conhecendo e refletindo para facilitar a compreensão de textos narrativos, dissertativos e informativos, possibilitar uma análise do uso da linguagem verbal, não verbal e mista nas diversas situações de comunicação.



5.1- HABILIDADES

-Estimular o prazer pela leitura;

-Conhecer diferentes tipos de linguagem, no caso a linguagem verbal culminado com a linguagem não verbal;

-Refletir sobre a importância da linguagem não verbal no mundo moderno, do seu uso como forma de influenciar os interlocutores do processo comunicativo.;

-Privilegiar tal modalidade de produção nos mais diferentes contextos de usos, procurando revelar práticas concretas de leitura e escritas tecidas no emaranhado de aspectos políticos, psicológicos, culturais e históricos que atravessam a compreensão das situações do dia a dia;

-Realizar a reescrita de textos;

-Realizar a releitura com objetivo de compreender melhor o texto;

-Mostrar aos alunos que uma boa leitura pode fazer a diferença entre o sucesso ou fracasso profissional.

A curto prazo- (1º bimestre)

-Possibilitar o contanto com o mundo da leitura

-Realizar atividades diferenciadas;

A médio prazo- (2º e 3º bimestre)

-Despertar o interesse pela leitura;

- Conhecer parte do acervo da sala de leitura;

- Despertar habilidades para ouvir uma boa leitura;
A longo prazo (4º bimestre)

-Ler com desenvoltura;

-Interpretar e argumentar sobre acontecimentos contidos nos textos lidos;

-Criar estratégias de argumentação nas produções de textos.

VI- METAS

Auxiliar na elevação do índice de aprovação de 82% para 88% nos 2º ano e de 87% para 90% nos 3º anos.
V II- METODOLOGIA

Conversar com a equipe administrativa, pedagógica, de apoio e professores sobre a necessidade de novas estratégias para elevar os índice estatísticos de 2012.

Ações desenvolvidas pelo professor 2º e 3º anos em parceria com a coordenação pedagógica, orientação escolar e direção da escola.

-Avaliação diagnostica dos alunos;

Construção de planejamento anual, com base nas habilidades leitoras e escritoras ;

-Pesquisar na internet letras de música com o tema relacionado ao transito, cidadania, valores, seleção e impressão das mesmas, providenciar música mp3 para cantar com os alunos, e apresentar no momento cívico realizado pela escola.

Trabalhar rodas de leitura, onde o professor deverá contar fábulas, histórias infantis, incentivando assim os alunos a gostarem da leitura.
Ações desenvolvidas pelos alunos

ARTE- Coreografia de música

LÍNGUA PORTUGUESA,-Trabalhar a oralidade dos alunos ao recontarem as histórias ouvidas.

MATEMÁTICA- lateralidade nas coreografias musicais

HISTÓRIA- Identificar o tempo onde ocorreu os fatos

ENSINO RELIGIOSO- Compreender a mensagem que o texto trás, fazendo um paralelo com os fatos do dia-a dia

- Pequenos Contos de Fada

Ações serem desenvolvidas pelo professor:

Pesquisar na internet pequenas fábulas, seleção e impressão das mesmas, providenciar papel cartão para confecção das fichas de leituras contendo as fábulas, selecionar junto a coordenadora do video , pequenas fábulas para serem exibidas para os alunos, procurar parceria com pessoas que tenham habilidades de contar fábulas, para contá-las aos alunos, procurar a sala de leitura para selecionar junto a coordenadora textos e livros sobre fábulas, planejar as aulas e envolver os alunos motivando-os a quererem ler sempre mais.

Realizar a avaliação sobre o projeto, anotando os pontos positivos e negativos do projeto

Ações desenvolvidas pelos alunos

ARTE- Ilustração de fábulas.

LÍNGUA PORTUGUESA,-Leitura, interpretação e reescrita de pequenas fábulas.

MATEMÁTICA- anotações do número de fábulas trabalhadas no bimestre

HISTÓRIA- Identificar o tempo onde ocorreu os fatos

CIENCIAS- Os cuidados com o trânsito para não prejudicar a saúde

ENSINO RELIGIOSO- Compreender a mensagem que o texto trás, fazendo um paralelo com os fatos do dia-a dia

Ações : - Literatura de cordel e Paródia

Ações serem desenvolvidas pelo professor em parceria com a supervisão escolar:

Pesquisar na internet literatura de cordel seleção e impressão das mesmas, providenciar papel cartão para confecção das fichas de leituras contendo as poesias de cordel, selecionar junto a coordenadora do vídeo , pequenas histórias de literatura de cordel, para serem exibidas para os alunos, procurar parceria com pessoas que tenham habilidades de contar cordel, para contá-las aos alunos, procurar a sala de leitura para selecionar junto a coordenadora textos e livros literatura de cordel, planejar as aulas e envolver os alunos motivando-os a quererem ler sempre mais, e aventurar produzir pequenos cordéis.

Transformar música de sucesso em paródia, usando o tema transito.

Realizar a avaliação sobre o projeto, anotando os pontos positivos e negativos do projeto

Ações desenvolvidas pelos alunos

ARTE-Ilustrações dos cordéis.

LÍNGUA PORTUGUESA,-Leitura, interpretação e reescrita de cordéis.

MATEMÁTICA- Anotações do número de cordéis trabalhadas em sala de aula

HISTÓRIA- Identificar o tempo onde ocorreu os fatos

ENSINO RELIGIOSO- Histórias bíblicas em cordel

CIENDIAS- Medidas preventivas em relação ao transito.



Ações : - Contos de Fada e Poesias

Ações serem desenvolvidas pelo professor:

Pesquisar na internet de contos de fada, e poesias, seleção e impressão das mesmas, providenciar papel cartão para confecção das fichas de leituras contendo as fábulas, selecionar junto a coordenadora do vídeo: fábulas para serem exibidas para os alunos, procurar a sala de leitura para selecionar junto a coordenadora livros sobre fábulas, planejar as aulas e envolver os alunos motivando-os a quererem ler sempre mais, realizar pequenas dramatizações sobre os contos de fadas e apresentá-las para outras sala de aula.

garantir tempo para que as poesias sejam recitadas.

Realizar a avaliação sobre o projeto, anotando os pontos positivos e negativos do projeto.

Ações desenvolvidas pelos alunos

ARTE- Produção de história em quadrinhos sobre os contos de fadas, e declamação de poesias.

LÍNGUA PORTUGUESA,-Leitura, interpretação e reescrita de pequenas fábulas.

MATEMÁTICA- Anotações do número de fábulas trabalhadas no bimestre

HISTÓRIA- Identificar o tempo onde ocorreu os fatos

ENSINO RELIGIOSO- Compreender a mensagem que o texto trás, fazendo um paralelo com os fatos do dia-a dia

AÇÃO CONSTRUÇÃO DE DICIONARIO DE GIRIAS

Pesquisa em casa, na internet sobre gírias depois digitá-las, transformando em dicionário de gíria-

Despertar habilidade de leitura, escrita e produção de texto.

- AÇÃO PARTICIPAÇÃO NO CONCURSO DE LEITURA

Inscrição no concurso de leitura , no qual a escola receberá um livro Quinho e o seu cãozinho- Laé de Souza- Eco arte editora- acompanhado de caderno de exercícios, para incentivar a leitura e produção de texto. Projeto de leitura destinado a alunos do ensino fundamental, a partir do 2º ano (1ª série), até o ensino médio. Que tem como objetivos incentivar o hábito da leitura e estimular a criatividade dos jovens. Aprovado pelo Ministério da Cultura desde 2000, o projeto é desenvolvido com excelentes resultados em escolas estaduais e municipais em todo o Brasil. Junto com os livros, a escola também recebe material didático (folhas pautadas para redação e questionários e um caderno de atividades para turmas do infantil) para aplicação do projeto em sala de aula.

-AÇÃO PARTICIPAÇÃO EM OFICINA SOBRE SISTEMA DE AVALIAÇÃO realizada em Vilhena pelos professores do 2º ano e supervisora escolar, na oficina de apropriação dos resultados do SAERO – MARÇO 2013.
Cantinho de leitura nas salas do 2º e 3º anos com a coleção recebida do MEC- cantinho de leitura nas salas de aula 1º e 2º ano.
Participação uma vez por mês nos momentos cívicos com leituras, poesias, etc. incentivando os a pesquisa, leitura, oralidade e expressividade.

Utilização da sala de recursos mesas educacionais para- atividades diversificadas, leitura, jogos, etc, visando assim despertar habilidades motoras, leitoras e de cálculos.

A Orientação escolar conversará bimestralmente com os alunos com baixo rendimento utilizando os seguintes instrumentais.

- Motivos alegados pelo Aluno (a)


- Motivos alegados pelo (a) Professor(a):

- Medidas Preventivas:


Aluno (a)



Colorado do Oeste,............de .............................de 2013.



FICHA DE CONTROLE DO ALUNO INFREQÜENTE



1. Dados da Escola:

Escola Estadual de Ensino Fundamental 16 de Junho

Avenida Rio Madeira nº 4870 / Colorado do Oeste – RO

2. Dados de Identificação do (a) Aluno (a):

Nome: ...........................................................................................................

Data de nascimento: .....................................................................................

Filiação: .......................................................................................................

Endereço: ........................................................Fone: ...................................

Local de trabalho do Pai: .............................................................................

Local de trabalho da Mãe: ...........................................................................

3. Histórico da Situação Escolar:

Ano: ................... Turma: ....................... Turno: ...........................................

Data das Faltas: ..............................................................................................

Nome do (a) Professor (a): .............................................................................

Data da comunicação: ....................................................................................

Assinatura do (a) Professor (a): .....................................................................



4. Medidas tomadas pela escola:

Data e forma de convocação do (a) responsável: ...........................................

.........................................................................................................................

O responsável foi encontrado: ........................................................................

Data de comparecimento do (a) responsável: .................................................

Motivos alegados para as faltas: .....................................................................


Encaminhamentos feitos pela escola: .............................................................



...............................................................................

Ass. do (a) Aluno (a)

Ass. do (a) ResponsáveL



FICHA DE ACOMPANHAMENTO DISCENTE

Nome:....................................................................Ano:.....Turma:.....Turno:.......

Data de nascimento:...........................................................Idade:........................

Pai: ...........................................................Mãe: .....................................................

Endereço: ..............................................................Fone: .....................................

Professora: .................................................................................Ano: .................



DATA AÇÃO NEGATIVA MEDIDAS PREVENTIVAS

-FICHA DE ENCAMINHAMENTO DISCENTE

ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL



ALUNO ANO TURMA AÇÃO NEGATIVA

Será elaborado o plano de ação integrado supervisão, orientação e direção escolar.

-CRONOGRAMA DE AÇÕES INDIVIDUAIS PARA 2013

ATIVIDADE RESPONSÁVEL PELA AÇÃO MÊS

Convocar e presidir reuniões Direção Fev a dez

Prestar esclarecimentos aos pais e comunidade escolar Direção Fev a dez

Estabelecer regras comuns observando a legislação vigente Direção Fev a dez

Vistoria diária nas instalações físicas da escola Direção Fev a dez

Proporcionar espírito de liderança na organização da escola participando e cooperando no andamento das atividades. Direção Fev a dez

Acompanhar e avaliar de forma participativa a execução do currículo em vigor, visando a adoção de medidas e a correção de eventuais disfunções. Direção Fev a dez

Zelar pelo cumprimento das disposições contidas no regulamento interno da escola Direção Fev a dez

Organizar a escola para receber os professores Supervisão Jan

Reunião de abertura do ano de 2013 Direção /Supervisão fev

Coordenar conselho de classe Supervisão- Direção e Orientação. Fev a dez

Atuar junto aos professores para detectar dificuldades e juntos procurar saná-las Supervisão Fev a dez

Articular a execução dos projetos Supervisão Fev a dez

Acompanhar o processo ensino/aprendizagem. Supervisão Fev a dez

Acompanhar os diários de classe. Supervisão Fev a dez

Acompanhar o corpo docente individualmente quando se fizer necessário. Supervisão Fev a dez

Facilitar e promover a coordenação integrada favorecendo a interdisciplinaridade; Supervisão Fev a dez

Subsidiar o trabalho do professor por meio de textos, vídeos, auxiliando na escolha do material didático. Supervisão Fev a dez

Relatório das atividades desenvolvidas pela Supervisão. Supervisão Fev a dez

Reunir-se com a direção, professores e supervisão para sanar as dificuldades de indisciplina dos alunos. Orientação Fev a dez

Realizar visitas domiciliares aos alunos problemáticos. Orientação Fev a dez

Promover atividades de interação escola, família e comunidade. Orientação Fev a dez

Promover a interação do corpo discente nas atividades escolares programadas. Orientação Fev a dez

Promover visitas às salas de aula com temas variados, conforme as necessidades das turmas. Orientação Fev a dez

Providenciar encaminhamento da FICAI ao Conselho Escolar Orientação Fev a dez


AVALIAÇÃO

Continuamente no decorrer das atividades letivas.

Referencial bibliográfico

Diretrizes Operacionais sobre conselho de classe, conselho de professores e competências do orientador educacional, supervisor escolar e psicólogo educacional- Rondônia 2010,

Portaria 0436/10 GAB SEDUC – 2010.

Portaria 0446/2013

PPP da escola 16 de Junho 2013)

Referencial curricular de Rondônia 2013

(http://ideb.inep.gov.br/ acessado em março 2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...